Florença, com sua Ponte Vecchio e grandes mestres…

No Centro Histórico de  Florença, difícil é olhar para os lados e não ver arte. Ela está por tudo. Na arquitetura dos prédios, igrejas, nas praças, nos monumentos, etc.

Por séculos nas mãos da família Médici, a cidade florentina, de origem etrusca, pode florescer na arte,  abrigando  muitos dos maiores mestres da pintura e escultura da Renascença.

Ao lado do Palácio Vecchio, a  Galeria Uffizi  é um caso a parte. Um mundo. Abriga a maior concentração mundial de arte renascentista. São em torno de 50 salas.  O Nascimento de Venus e as Quatro Estações, de Botticelli,  dominam uma das salas, onde fica uma multidão ‘babando’ em frente.  Por alguns bons minutos fiz parte desse aglomerado.  É uma pena que é  proibido registrar a visita por fotos ou vídeos.

 Pode-se estabelecer contato com  Michelangelo, Giotto, Caravaggio, Rafael, Leonardo da Vinci, Tiziano, Rubens e muitos, muitos outros.

Três horas foi pouco para percorrer os ambientes  recheados de obras de diversas épocas. Chega uma hora que o cérebro não registra mais, e as pernas não resistem.  São mais de cem mil obras expostas.  A esperança sempre é retornar uma próxima vez para ver mais um pouco.     Quem sabe?     Afinal, há muito para ser apreciado ainda.

A charmosa Paris


Paris é aquela cidade que faz parte do imaginário da maioria das pessoas. Retratada infinitamente em filmes, livros, romances, reportagens, vídeos etc.

Não é por acaso que a Torre Eiffel é considerado o monumento mais visitado do mundo.  A ‘velha dama’ nunca perde seu charme e encanto.  Os turistas são tantos que quase tiram um pouco desse brilho;  mas quem não quer, pelo menos uma vez, respirar esse ar de magia que impregna esses cenários seculares?

Caminhar ao longo do Sena, tomar um café numa esquina qualquer, ou sentar no parque das Tulleries, não importa, tudo tem um sabor típico que só Paris tem.

França – Palácio de Versalhes

O Palácio de Versalhes é um dos poucos locais que permite filmagens e fotos em seu interior. Por isso foi possível fazer esse pequeno vídeo,  que o tempo disponível permitiu.

Luxuoso e lindo!  O “Rei Sol”, Luís XIV, teve o mérito de sua construção em meados do século XVI, sendo considerado o Palácio mais suntuoso do mundo.

Sorte (ou não) de quem viveu nele. Claro, que a guilhotina fez parte do ‘pacote’.   Afinal, quem disse que o mundo é perfeito? Mas isso também já virou história.

A gente pode apreciar o que sobrou.

A medieval Cortona

 Ao visitar a Itália, uma das cidades que teve que fazer parte do itinerário foi  Cortona.  Adoro cidades medievais, tenho verdadeiro fascínio por suas construções rústicas de pedras, sei lá  porque…coisas de outras vidas???… Castelos também fazem parte desse encanto.

Pelos idos de 2006,  assisti um vídeo de um concerto do maestro holandês André Rieu em Cortona e decidi que iria conhecer essa cidade.     E sou assim, quando decido uma coisa, ela tem sérias chances de se tornar real…pode levar algum tempo (como geralmente leva), mas se realiza.

Cortona é uma cidade medieval de origem etrusca, encravada num dos morros mais altos da região, na província de Arezzo, numa altitude de 600 metros. Serviu de cenário para o famoso filme ” Sob o Ceu de Toscana “, de 2003, com Diane Lane.

Andar por suas ruas e ruelas estreitas e íngremes requer um bom preparo físico.  A gente acaba ‘bufando’ nesta volta ao passado, mas vale mais do que a pena, quando se admira o Val di Chiana lá de cima, com sua zona rural, vilarejos, aquela vasta natureza cultivada, lagos, etc.    É muito lindo.

Uma ideia que acalento naqueles cenários, por isso tanta vontade de circular e andar naquele ‘morrão, é ambientar parte de um romance (já começado, mas por hora parado). Tenho a pretensão que seja um best seller (sonho de adolescente), para sonhar ainda não pagamos imposto, então, por que não???      Tudo começa no pensamento…

Pena que o tempo sempre é pouco em cada lugar que se vai. Mas pretendo retornar algum dia para aquele pequeno paraíso medieval etrusco.
As imagens (caminhadas) mostram um pouco do que deu para absorver, com as retinas e com a handycam. Graças à tecnologia podemos guardar e prolongar nossas impressões por mais tempo.

Grazie Cortona!  Tanto antica e tanto bella!

Ciao bela Itália…!

Visitar a Itália foi entre tantas, minha viagem dos sonhos. Tendo passado por diversos países ao longo dos anos,  a Itália estava me chamando a  algum tempo.  E devo dizer que adorei!  Que Terra maravilhosa, linda, bucólica, cheia de arte e história…pelo menos a parte que conheci.

Quero e preciso retornar algum dia!   É difícil explicar o que evoca na gente, parecem reminiscências de outras vidas…quem sabe?

Veneza é um caso de amor a primeira vista! Nada do que vi até hoje se iguala ao seu encanto. É uma beleza su-real. Navegar por seus canais, entre a arquitetura secular nos deixa meio que flutuando entre mundos: o da água, da terra,  do céu, e talvez outros que há muito tempo existiram por lá.   A primeira noite que ali andei , além de ficar tonta, de quase cair, caí num choro convulsivo que até hoje não entendi. Nunca senti nada igual…em lugar nenhum! 

Se você ainda não foi e puder, vá!  É imperdível!   O mundo meio que se perde por lá. Tem muita gente, mas sempre cabe mais um.   No nosso caso, o bom foi fazer os passeios com um veneziano nativo, que consegue comprar os ingressos a preços para os locais, pois o de turistas sempre é especial para mais. 

Claro que a gente não teve acesso ao glamour da Angelina Jolie, em O Turista, mas que importa? Aquilo é para as ‘telinhas’. A realidade é bem mais divertida!

Estarei postando alguns vídeos ( de turista) feitos no balanço das andanças, portanto a qualidade das imagens oscila junto com os passos de quem quer ver o máximo e não pode se dar ao luxo de usar tripé.   Claro que ver as imagens, depois que se esteve lá, é uma coisa, e se não esteve, é outra!  A emoção sentida só se obtém no local, e rever é reviver, mas acredito que vale de qualquer forma.

Grazie Dio, pela oportunidade!