Dia da caça ou do caçador?

Sabemos que conflitos fazem parte de nossas vidas.  São eles, em última instância, que nos fazem crescer.  Sem eles nos acomodaríamos na zona de conforto e ali fincarímos os pés,  como uma árvore.   Mas nossa natureza não foi projetada para criar raízes fixas como elas.  Somos seres em construção, mudar é parte inerente de quem evolui.  Por isso os conflitos são,  na realidade, nossos melhores aliados.  Eles nos empurram para fora das áreas e muros que tão habilmente construímos à nossa volta.

Mas existem algumas decisões para com terceiros, que não nos envolvem diretamente, como:  beneficio a abelha ou a aranha?

Papo estranho?   Deixa eu explicar. Estava no porão de casa quando escutei um zunido esquisito,  ao ir em direção de onde vinha esse som,  percebi uma abelha presa numa teia de aranha habilmente tecida num canto da janela.  A aranha, bem magrela e raquítica, por perto, praticando sua técnica de aniquilar a distraída  abelha.

Me indago: solto a abelha, ou deixo a natureza seguir seu curso? A gente gosta de ser          abelhudo, termo bem adequado ao momento.  Quem inventou não sei e nem por que.

Ia soltar, aí pensei: sabe lá quanto tempo esta aranha tenta pegar uma refeição, quem sabe ela tem filhotes para alimentar…(pensamentos racionais, típicos de ser humano) aí escutei o desespero da abelha diante da morte iminente, toda enrolada naqueles fios quase invisíveis, mas que  são difíceis de romper.  O que fazer?

Aí fiz uma análise pautada na utilidade dos insetos para nós humanos: a aranha come mosquitos, mas enche a casa de teias que temos que remover toda hora; a abelha, por outro lado, fabrica mel e poliniza as flores. Decidi. Soltei a abelha. Se ela se salvou, não sei. Eu fiz minha parte, interferi no curso da natureza. (Somos metidos).

A aranha deve ter ficado indignada, mas…quantas vezes algum abelhudo puxa o nosso tapete também?   Ou joga fios invisíveis que nos prendem em situações que nos exaurem? Como é bom quando aparece alguém (do nada – ou assim parece) e nos liberta.

 Um dia é da caça, outro do caçador. Esse era o dia da caça.

Anúncios

Opine, participe!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s