Winchester Cathedral

IMGP0777

http://vimeo.com/20102104

A catedral de Winchester fica na cidade inglesa com o mesmo nome, que é a capital do condado de Hampshire, no sul da Inglaterra.

A igreja data do século VII, com origem anglo-saxã, ainda pagã.

Posteriormente passa por diversas reformulações, através do séculos, até tornar-se uma das mais importantes e imponentes catedrais do Reino Unido, e com a maior nave das igrejas europeias.  Um ícone da arquitetura.

Winchester foi a capital do reino anglo-saxão de Wessex,  entre o sec. VI e IX, quando surge o estado inglês.  Boa parte da sua arquitetura  traz características romanas, de onde se originou.   Os romanos andaram por toda a Ilha do atual Reino Unido.  Southampton e Bath são outros exemplos  bem vivos ainda dessa época, perceptíveis  na arquitetura remanescente.

Ali também viveu o rei Arthur, e sua Távola Redonda (restaurada, não a original ) está exposta no Museu

Os primeiros reis foram ali enterrados, um deles, Alfredo, o Grande, primeiro rei de Wessex, responsável por libertar o país do jugo dos invasores nórdicos ou vickings.

Jane Austin,  a segunda mais venerada escritora do Reino Unido, depois de Shakespeare, claro, faleceu em Winchester e está enterrada na grande e suntuosa  catedral.

A catedral de Winchester é administrada por cem pessoas empregadas e seiscentos voluntários, segundo refere o reverendo James Atwell,  decano. Além da arquitetura sui generis, pode se admirar uma Bíblia do século XII com lindas ilustrações coloridas. Possui 16 sinos, o mais antigo datando de 1621.

Com mais tempo para organizar as imagens feitas, montei esse vídeo no YouTube com algumas tomadas do Volei de Praia dos Jogos Olímpicos de Londres, feitos “meio furtivamente’, com meu smartphone, já que não era permitido (oficialmente).

Os “oléééé” que animavam a torcida vão ecoar por muito tempo nas lembranças desses momentos inesquecíveis dos Jogos.

Esse crachá me permitiu ter acesso aos bastidores do maior acontecimento esportivo do ano, London Olympic Games 2012, na Horse Guards Parade, no coraçao de Londres.
O mascote Wenlock caracterizado de Parlamento ao lado do London Eye e rio Tâmisa.
Amanhã a Cerimônia de Encerramento das London Olympic Games 2012. Passou rápido, mas foi intenso. Londres é intensa. Aqui tem de tudo e acontece de tudo.
Teve muitos ‘agouros, como sempre tem, sobre o desenrolar das Olimpíadas, não vi nada. A parte dos Jogos que eu vivenciei foi muito bem. Transporte normal, segurança normal, organização, tudo. Eles não mediram esforços para receber esses milhões de pessoas a mais nesta cidade já tão visita e apreciada.
Para mim, só a arquitetura que pode se ver em toda cidade em prédios públicos, igrejas e prédios residenciais, além dos enormes e lindos parques, já vale a visita a Londres.
Kensington Park
É uma cidade agitada, mas saiu das ruas principais, a gente se encontra em ruas tranquilas, silenciosas. Entrou num dos seus muitos parques, pode sentar na grama ou em cadeiras preguiçosas alugadas a 1 libra e 50 por hora, em meio a pombas, pássaros, patos, cisnes, etc. onde existem lagos. Essa cadeiras estão espalhadas por todos os parques e praças.
Todas as criaturas convivem pacíficas nestes parques. As pombas comem pela grama ao lado das pessoas, as patas sentam na grama, depois caminham tranquilamente para a água, os esquilos vem comer na mão, os pássaros se acumulam onde tem migalhas, passam voando de fininho pela gente… As pessoas deitam na grama, sentam, comem, dormem, tomam sol, fazem piquenique, tudo na santa paz. Eu me pergunto: por que não podemos ter isso no nosso país? Por que temos que ter medo ao cruzar um parque? Que dirá sentar despreocupada?
Por que chegamos a esse ponto e não tomamos nenhuma atitude?
Pátio interno do Palácio
Ao visitar o Palácio de Buckingham entendi um pouco o sentimento de orgulho e certa superioridade que os ingleses tem do seu país.
Só um daqueles lustres, dos dezenas que tem, nos ‘States Rooms’,
acredito que dê para comprar um apartamento ou mais. (pena que não se pode fotografar, por razões óbvias).
O lado de fora do pátio do Palácio

Um dos muitos Pubs pelas esquinas da ruas de Londres

Essa criatura linda e fofa mora no Guest House onde estou.
Londres é isso e muito, muito mais…Depende no que focamos nossa atenção.

Uma experiência única

      Parque St. James e  ao fundo o Horse Guards Parade

Fazer parte do maior evento esportivo do Planeta, Os Jogos Olímpicos de Londres 2012, onde estarão reunidos os melhores atletas dos quatro cantos do mundo, será, com certeza, uma experiência única.

Sinto-me privilegiada em poder participar como um dos 70 mil voluntários, e mais ainda, em terras inglesas. É um desafio imenso e excitante ser flash quota repórter numa das dezenas de Venues que serão palco do desempenho dos melhores atletas de cada modalidade.

Imagina que aura de energia cobrirá a cidade nestes dias? Cada atleta, cada treinador, cada jornalista, e todos os milhares de envolvidos para que os Jogos aconteçam, focando no seu melhor?

Será muito brilho, como ouro das medalhas (lindas) que esperam por seus futuros donos.

Com mais de 10 milhões de discos vendidos,  Andrea Berg é a cantora alemã mais popular de todos os tempos na Alemanha. Ficou 342 semanas nos Top 100 com seu melhor álbum.

Neste vídeo ela canta um de seus maiores sucessos : Du Hast Mich Tausend Mal Belogen ( Tu  mentiu para mim mil vezes…) no link a letra, para quem tiver curiosidade.

Eu adoro suas músicas e sua interpretação. Ninguém é tão popular por acaso e por tantos anos. Ela iniciou sua carreira em 1992, aos 26 anos,  época em que era enfermeira. Foi descoberta por acaso.  Aos 46 continua encantando seus fãs pelo seu país e alguns vizinhos, com  seu estilo peculiar de vestir, geralmente roupas de couro justas e sexys e botas de cano longo.

Num depoimento ela falou: “Quando entro no palco é como se pisasse num tapete mágico. Esqueço todo o resto e procuro dar o meu melhor para os milhares de pessoas que estão a minha frente.”

O que vem da alma  tem caminho certo para o coração dos outros. É isso que Andrea faz: canta com a alma aberta, coisas do coração, assim, toca o  dos seus ouvintes. Inclusive o meu.