Capítulos Comentados (4)

O PENSAMENTO COMO ponto DE PARTIDA  

Hábitos (pgns.87 a 98)

” Os hábitos são muito parecidos com teias de aranha. Ela parece frágil e facilmente quebrável, a menos que você seja uma mosca presa nela”.

Denis Waitley

Na sequência, abordarei a questão dos hábitos. O pensamento referido acima nos dá uma boa dica de como é, estar enredado por eles. Parecem inofensivos, mas alguns podem até mesmo acabar conosco, se permitirmos.                          

Claro que temos bons hábitos e  ruins, mas todos, de alguma forma, podem com o tempo nos engessar e desatualizar.

Primeiramente temos que reconhecê-los, verificar e questionar sua atividade e utilidade. Os ruins precisam ser eliminados e a melhor forma é substituí-los por outros que trabalhem a nosso favor. Espaços uma vez criados, são ocupados com alguma coisa. Não ficam vazios.

O perigo dos hábitos, é que grudam em nós como uma segunda pele, e os incorporamos como parte de nós.  Eles criam cercas, limites e podem restringir nosso crescimento pessoal e profissional.

Relacione os seus hábitos e decida quais merecem ficar e quais merecem ser substituídos.

Com certeza, há muitos bons esperando a vez  na fila!      

Próximo cap. Liderança