João Victor e seu cofrinho…

Recebi hoje, da editora da Ulbra, algumas fotos do lançamento do livro infantil O Urso que não queria dançar.

Este simpático menino é João Victor, que veio à Feira do Livro de Porto Alegre, novembro último, acompanhado da mãe e as economias do seu cofrinho de moedas, com as quais comprou alguns livros.

Um deles foi o de minha autoria, o que muito me honrou.

Grande beijo, João Victor, e parabéns pela escolha de investir sua economia em livros! Sábio menino.

Togo, um urso muito determinado

Histórias fazem parte do imaginário do ser humano. Nas antigas civilizações havia poucos meios para propaga-las. Eram contadas oralmente. Hoje em dia temos diversos recursos, sendo o mais popular, ainda, o livro. É através de histórias que valores são passados, a ética e o respeito pelos outros seres é evocado e a imaginação e criatividade estimulados.

A melhor época para usar estes recursos  é na infância, quando estamos abertos, sem pré-julgamentos, sem pré-conconceitos. E uma vez tocados por estes valores, dificilmente são esquecidos. Eles norteiam muitos dos nossos passos. Este é o principal motivo que me levou a escrever  O URSO QUE NÃO QUERIA DANÇAR.  Uma história, que além de noções geográficas, estimula na criança o respeito pela natureza e os animais, além da união da família.

O urso Togo, que não queria dançar, estará na Feira do Livro de Porto Alegre, esperando para contar sua história. Apareça no dia 15 de novembro, as 16:00 para um bate-papo comigo e as 17:00 para a sessão de autógrafos.

Até lá!