Os dois lados da moeda

09 de março

Estamos imersos na eterna dualidade. Quando não é cara, é coroa. Semana passada comentamos sobre alguns dos benefícios das mídias sociais. Esta semana fiquei observando, o quanto elas podem nos distrair e desviar do foco. Como fazem parte da rede de comunicação mundial, abrem possibilidades infinitas. Só que nós somos finitos. Temos limites. De tempo, de capacidade de armazenar informação, de interagir, de fazer, etc.

Todo cuidado é pouco para não se deixar engolir pelos apelos que são oferecidos a cada clic. Sabemos que somos tele-guiados boa parte do dia. Existem satélites ao redor da nossa bolinha para detectar qualquer um e qualquer coisa, em qualquer lugar. Só depende da coordenada certa. Câmeras nos monitoram em quase todos os locais. O GPS se popularizou. O celular não deixa de ser um transponder. As TVs são cada vez mais sofisticadas. Tudo se interconecta e se complementa.

Quando o escritor inglês Aldous Huxley escreveu “Admirável Mundo Novo em 1932,  e que depois  virou filme,  já antevia com visão prá lá de futurista  o que nos aguardava. Ele já se foi, mas sua profecia está em pleno andamento. (Talvez com pequenas alterações de roteiro, mas em essência…)

Pouco antes de partir desse mundo, em 1963, fez este pequeno discurso disponível  no youtube, que corrobora a sua visão pessoal do contexto social futuro, com o da sua obra de ficção.

E ele estava certíssimo.  Atentem para os muitos sinais. Um deles, as vacinas da malfadada gripe suína,  (swineflu_09may01.html ) não virou epidemia, mesmo que os laboratórios quisessem.

Aqui no Brasil veio um  lote no ano passado  para vacinar os adultos jovens, foi comprado da França, que comprou muito mais do que precisava, e como sobrou, empurrou para países como o nosso, onde muitos com certeza estão ganhando o seu (super) percentual. Como é fácil enganar a população. Ela na sua boa fé embarca nos apelos fabricados pelos  (por hora, porque nada dura para sempre, tudo é cíclico)  poderosos.

Agora, este ano, como deve ter sobrado um montão dessa ‘solução fabricada’, (leia-se milhões de dólares nos cofres dos fabricantes e adeptos)   irão vacinar também as mulheres grávidas e crianças abaixo de dois anos. Antes não podia, agora pode. Por que será???   A máfia dos laboratórios se alimenta da doença e desgraça da população mundial, grande parte (senão  a maioria) fabricada por eles.  Faça uma visita à pagina do médico holandês e confira informações interessantes, se tem preocupação com sua saúde e bem estar.  http://www4.dr-rath-foundation.org/index.html

Já leram sobre a adição do flúor na água? Não?   Seria interessante saber o que realmente tem por trás. O fluor é mais que venenoso que o arsênico.  Só não mata, (mas tapa os sentidos) porque é usado em pequeníssima porcentagem. (nem sempre). Um estudo interessante feito em São Paulo pela Unicamp:  pcII_2008-ToxicidadeFluoreto.pdf.   Pouquinho pode ajudar, um pouco a mais pode causar muitos danos e até matar.

“Assim, julgamos oportuno que para regiões de água fluoretada haja uma advertência de que crianças menores de 6 anos utilizem uma pequena quantidade de pasta por escovação.” Cury, J.A. Rev gaúcha odontol,1986

O pensamento ainda é nosso,  (será que podemos ter certeza disso?)  o que sobra claro, dessa demanda toda que nos é solicita toda hora, todos os dias.

No meio desse paradoxo, do qual não tem como fugir, o que podemos fazer, se é que isso ainda nos interessa, é preservar um mínimo de tempo só para nós todos os dias. Praticar alguns minutos de silêncio, também chamado de meditação, para nos centrar, nos ouvir, nos sentir. Isso desperta nossa sabedoria, e só ela é capaz de nos mostrar meios de fazer melhores escolhas e  tomar  decisões que venham ao encontro dos nossos anseios mais profundos.

Abaixo das muitas camadas de condicionamentos impostos, ainda jaz uma alma livre em cada um, que anseia apenas por uma oportunidade de ser ouvida, pois seu impulso é sempre pela e para a vida, da mesma forma que as plantas, que sempre buscam a luz.